FABRICAÇÃO DE VIDROS (VOLTADA PARA PEÇAS DECORATIVAS).

Introdução

FICHA TÉCNICA
Tipo de Negócio: Fabricação de vidros (voltado para peças decorativas)

Fabricado de forma rudimentar pelos egípcios desde a mais remota Antigüidade (Século 27 aC), o vidro acompanha a história do homem e está cada vez mais presente na vida moderna. Substância inorgânica, homogênea e amorfa, obtida através do resfriamento de uma massa em fusão, o vidro é material complexo que pode ser transformado em um grande número de produtos, compondo objetos de propriedades físicas e químicas bastante distintas. Ele pode apresentar-se nas mais variadas formas – dos vidros de janelas e dos objetos domésticos à lâmpada elétrica, passando pelos automóveis, televisão, computadores e chegando até os laboratórios e os mais sofisticados instrumentos ópticos. Suas principais características são a transparência e a dureza.

MERCADO. Com vendas anuais estimadas em R$ 100 milhões, os objetos decorativos tornaram-se um atraente mercado também para pequenas empresas. Depois de perder espaço para o acrílico nos anos 70 e de enfrentar por muito tempo a resistência dos lojistas, em virtude de sua fragilidade, o vidro voltou em grande estilo à decoração. E, ostentando o trunfo adicional de material ecologicamente correto. Foi por ser 100% reciclável, que o vidro não só conquistou os decoradores, mas ganhou as prateleiras do varejo. Com uma demanda especialmente atraente para estúdios e ateliês que trabalham com baixa escala de produção e designs diferenciados.

DEMANDA. A versatilidade do material e a valorização das peças pelos profissionais de decoração são os grandes responsáveis pelo aumento da procura por esse tipo de vidro, observa a paulistana Elvira Schuartz, do Espaço Zero, um misto de galeria e escola de artesanato de objetos de vidro com cursos que recebem, em média, 20 alunos por mês. Hoje, vende-se a produção não só para lojas de presentes, como também para floriculturas, bufês e até joalherias. Mas, para cativar a clientela, é necessário ir além do trivial.

TENDÊNCIAS. Estar atento às tendências do setor também é essencial, muito embora a preferência do consumidor brasileiro recaia sobre as peças robustas e de cor azul. Outro ponto fundamental para quem deseja investir no segmento é prospectar bem o público-alvo. Peças únicas, assinadas e de custos mais altos são valorizadas por quem aprecia o objeto como obra de arte.

CLIENTELA. Peças únicas, assinadas e de custos mais altos são valorizadas por quem aprecia o objeto como obra de arte. É por isso que sugere-se que o endereço de revenda seja o próprio ateliê ou lojas sofisticadas de presentes e decoração. Já os modelos em série, mesmo que em pequena escala, atingem um universo maior de consumidores.

O QUE É VIDRO. O vidro é uma substância inorgânica, homogênea e amorfa, obtida através do resfriamento de uma massa em fusão. Suas principais características são a transparência e a dureza. Material complexo que pode ser transformado em um grande número de produtos, o vidro pode compor objetos de propriedades físicas e químicas bastante distintas.

. DO QUE É FEITO. SÍLICA –SiO : matéria prima básica cuja função é de vitrificante; SODA – Na2O: introduzida na barrilha e no sulfato de sódio, tem por finalidade baixar o ponto de fusão da sílica; CÁLCIO – CaO: introduzida através do calcário e da dolomita, dá estabilidade ao vidro contra os ataques de agentes atmosféricos; MAGNÉSIO – MgO: introduzida através da dolomita, transmite ao vidro resistência para suportar, dentro de certos limites, mudanças bruscas de temperatura. Enriquece sua resistência mecânica; ALUMINA – Al2O3: colocada através do feldspato, é o elemento que dá mais resistência mecânica; CLORETO DE SÓDIO, NITRATO DE SÓDIO e ÓXIDO ARSÊNICO: afinantes; ÓXIDO DE COBALTO (azul), ÓXIDO DE FERRO (verde), ÓXIDO DE SELÊNIO (cinza): corantes; Sucata de vidro: empregada na proporção de 20 a 40%, auxilia a fusão.

. COMO É FEITO. O vidro é fabricado a partir de algumas das matérias-primas mais abundantes na face da terra. As principais são: areia, barrilha, borax, calcário, dolomita, feldspato, nefelina, sienito, sulfato de sódio, silicato de chumbo entre outros, além do próprio caco de vidro. O processo de fabricação começa com a mistura (à seco) destas matérias e depois transferidas a um forno de fusão, revestido de refratários especiais, onde são fundidas à altas temperaturas, da ordem de 1500 ºC. O processo de fusão é muito complexo e envolve basicamente reações químicas entre as diversas matérias-primas, a formação de fases líquidas e homogêneas, a eliminação dos gases produzidos nas reações químicas e, finalmente, a formação de uma massa vítrea homogênea pronta para ser fornecida às máquinas de conformação.

. UTILIZAÇÕES DO VIDRO. Envolvem quatro grandes campos:
. . VIDRO OCO: para garrafas, frascos, etc.
. . VIDRO PLANO: janelas, divisões, portas, automotivos.
. . VIDROS FINOS: lâmpadas, aparelhos eletrônicos, tubos de televisão, etc.
. . VIDROS CURVOS: usados sobretudo na indústria automobilística e de construção civil.

FABRICAÇÃO DE OBJETOS DE VIDRO.
. EQUIPAMENTOS. Para a fabricação de objetos de vidro será necessário um forno para realizar a fundição e moldagem, necessárias à confecção dos objetos. Estes moldes poderão ser adquiridos por encomenda nas indústrias que fabricam moldes, onde você poderá estar informando as características (tamanho, formato, etc) do objeto que se desejar produzir (Veja relação dessas indústrias no anexo). Para trabalhar peças de vidro já fundidas (ex: garrafas) é necessário um maçarico e um cortador de vidro (espécie de caneta com ponta de diamante sintético).

. O PROCESSO. O processo de fabricação de objetos de vidro a partir de formas é inteiramente obtido por máquinas, que controlam a dosagem da massa vítrea, o fechamento do molde e a conformação do produto (através de jateamento de ar comprimido, para o espalhamento de massa no molde) e resfriamento. É um trabalho artesanal e o processo irá se relacionar diretamente com a habilidade do artesão. O processo consiste em selecionar, cortar, deformar (com o maçarico e um alicate liso) e dar acabamento com lixas e jateamento.

. . ALTERNATIVAS. Adaptações também podem ser feitas. Um cinzeiro, por exemplo, poderá ser fabricado aproveitando-se uma garrafa de vinho do tipo azul. Através de um suporte (o próprio artesão poderá criar um com sarrafos de madeira) faz-se o corte da garrafa aproveitando-se aproximadamente 4 cm do fundo. Este corte pode ser feito posicionando-se a garrafa deitada no sarrafo de madeira e fixando a caneta de cortar vidro no sarrafo de forma que ao girar a garrafa a caneta risque o vidro uniformemente. Em seguida, será necessário fazer o suporte de apoio do cigarro (que poderá ser feito através do maçarico) e com o alicate vai-se dando forma ao suporte. Por fim vem a etapa de acabamento, onde o uso de lixa é fundamental para retirar as áreas cortantes do vidro. Outros efeitos podem ser conseguidos com jateadores de areia.

. .CUIDADOS. O cuidado pessoal é importante, sendo imprescindível o uso de óculos,avental e luvas apropriadas.

DICA. Para pequenos empreendedores, o ideal é começar pela produção de vidros moldados em fôrmas, que é o tipo de vidro que responde por 70% das vendas do segmento artesanal. Além do mais, a técnica da produção de vidros moldados requer mão-de-obra menos especializada do que a de sopro.

INVESTIMENTOS. Segundo Elvira, do Espaço Zero, R$ 4 mil são suficientes para a compra de um forno (50 cm X 50 cm) de baixa temperatura, lixadeira, alicate de diamante, fôrmas, pigmentos e um estoque inicial de matéria-prima.
. CAPACIDADE PRODUTIVA. Essa estrutura permite fabricar: 18 cinzeiros por fornada, o que equivale a produção de 400 peças/mês, que vendidas a uma média de R$ 8/unidade (no atacado), garantem um faturamento mensal de R$ 3,2 mil com rentabilidade de 20%. È bom lembrar que essa matemática só poderá tornar-se realidade na medida em que sejam controladas as perdas, que se ultrapassarem 20% da produção gerarão prejuízo. Fica também o alerta de que o vidro, por ser material de difícil manuseio, é o grande responsável pela perdas.

FORNECEDORES. As empresas fornecedoras de equipamentos contam com o esquema de fabricação dos produtos para estar realizando o projeto final dos equipamentos a serem utilizados.
Também oferece acessórios , suplementos nacionais ou importados para trabalhos em vidro.

OPORTUNIDADES.
RECICLAGEM DE VIDROS. Nas latas de coleta seletiva, VERDE é a cor do Vidro. Os potes de maionese, copos de requeijão, garrafas e vidros em geral, correspondem a 3% do lixo residencial do país. É importante lembrar que o vidro não se decompõe e uma garrafa de vidro tem 100% de aproveitamento quando reciclada. Procure os órgãos ambientais da sua cidade para saber quais empresas reciclam vidro perto de você.O Instituto Colombiano São Judas Tadeu, entidade beneficente que dá cursos profissionalizantes a jovens carentes, viabiliza a aquisição de equipamento de reciclagem. Funcionando em São José do Rio Preto/SP, o Instituto foi pioneiro na instalação do primeiro Programa Permanente de Reciclagem de Vidro.

CASOS DE SUCESSO.

BIBLIOGRAFIA
- Pesquisas Tips - Sebrae - Pequenas Empresas, Grandes Negócios - IPT - Tudo (Folha de S.Paulo) - Negócios (O Estado de S. Paulo) - Empreendedor - Exame SP - Exame - Tudo - Estado de Minas - Marketeer - Google - Wikipédia - Ministério do Trabalho e Desenvolvimento
Esse arquivo foi gentilmente enviado por usuários do Emprega Brasil. Caso tenha arquivos que contribuam com a empregabilidade ou rentabilidade, nos envie através do e-mail: arquivos@empregabrasil.org.br




Emprega Brasil | © 2013 Todos direitos reservados. Brasil