LAVANDERIA

Ficha Técnica

Setor da Economia: Terciário
Ramo de Atividade: Prestação de Serviços
Tipo de Negócio: Lavanderia
Produtos Ofertados / Produzidos: Lavar, passar e secar roupas.

Apresentação de Negócios

APRESENTAÇÃO. Água, sabão e lucros, o conceito de que só roupas especiais vão para lavanderias está indo por água abaixo. A imagem do dono de lavanderia entregando as roupas penduradas também é coisa do passado. A modernização técnica e o aumento da demanda de serviços garantem boas oportunidades no ramo de lavanderias. O corre-corre das pessoas faz com que este tipo de negócio seja cada vez mais procurado. O hábito norte-americano de levar roupas para serem limpas em lavanderias começa a se tornar cada vez mais comum no Brasil. A rotina mais atribulada das pessoas, a quase extinção da profissão de lavadeira e as áreas das lavanderias residenciais cada vez menores, são realidades que proporcionam a transformação das lavanderias numa boa oportunidade para quem quer investir em um segmento que ainda tem muito o que expandir.

MERCADO. Estimular as pessoas a deixar de lavar roupa suja em casa e mandar para as lavanderias domésticas é uma tarefa difícil para um País onde apenas 2,65% da população utiliza esse tipo de serviço. Estima-se que o mercado de lavanderias movimente R$ 140 milhões por ano no Brasil, sendo que são cerca de 4 mil lavanderias espalhadas por todas as cidades brasileiras.
Este mercado é facilmente afetado pela situação financeira do país, visto que, este tipo de serviços é descartado quando a situação financeira não ajuda.

LOCALIZAÇÃO. Os melhores pontos são aqueles que visam, principalmente, ao atendimento de centros residenciais de classe média e regiões onde haja concentração de escritórios comerciais e bancos. Procurar sempre um local próximo de escolas, academias, supermercados ou que seja corredor de passagem. Se a intenção é lavar roupas de uso doméstico, o ideal é escolher um ponto comercial numa região de forte concentração de prédios residenciais em bairros de maior poder aquisitivo. Este será ainda por muito tempo o mapa da mina para as lavanderias que se modernizarem.

PERFIL DO NEGÓCIO. Nesse ramo, é imprescindível a definição e fidelidade ao segmento escolhido para atuação da lavanderia. De modo geral, existem dois segmentos básicos: o industrial e o domiciliar:
- Segmento industrial. É classificada como industrial a lavanderia que atende a restaurantes, hotéis, motéis, flats, condomínios residenciais e uniformes industriais.
- Segmento domiciliar. É classifica como domiciliar a lavanderia que atende ao público em geral.

ESTRUTURA. Poderá variar, mas as dimensões ideais de uma lavanderia é de uma de área de 100 m2, distribuídos entre recepção, área de separação das roupas recebidas, espaço para as mesas de passar roupa, mesa para tirar manchas, máquina de lavar a água, máquina de lavar a seco, centrifugadora, cestos para retirada de roupas limpas, cabides com roupas lavadas e embalador. layouts que deixam à vista do público a execução do trabalho.
O layout é um fator muito importante já que dispor os equipamentos na loja de maneira a facilitar o manuseio das roupas, a movimentação dos funcionários e o fluxo geral do trabalho, torna o trabalho mais eficiente e produtivo.

EQUIPAMENTOS. Os equipamentos básicos são;
- Máquinas de lavar;
- Centrífugas;
- Secadoras;
- Calandras;
- Bancas de passar;
- Ferros de passar de 3 kg e de 5 kg;
- Veículo utilitário para entregar e retirar as roupas;
- Computadores e telefone, etc.

É válido lembrar que os equipamentos poderão variar de acordo com a estrutura da lavanderia (industrial ou domiciliar).
Tipos de máquinas.
- Máquinas Abertas. São assim denominadas aquelas máquinas em que as fases de lavagem, centrifugação e secagem não são hermeticamente fechadas, o que permite que o solvente evaporado entre em contato com ar à volta do equipamento. É por isso que o solvente utilizado em máquinas abertas não deve ser tóxico.
- Máquinas Fechadas. Nesse tipo de máquina, uma vez feito o carregamento de roupas e fechada a porta, todo o ciclo de limpeza (lavagem, centrifugação e secagem) é realizado em ambiente hermeticamente isolado A recuperação do solvente é realizada ao final da operação, através de um destilador.

INVESTIMENTO. O investimento varia de acordo com a estrutura da lavanderia, no caso de uma lavanderia domiciliar, o investimento será em torno de R$ 50 mil, já no caso de uma lavanderia industrial exige pelo menos R$100 mil.

MÃO DE OBRA. Manter o pessoal constantemente motivado e estimulado para que o atendimento ao consumidor seja sempre de bom nível é fator fundamental. O número mínimo de pessoas trabalhando vai varias de acordo com a estrutura do empreendimento, porém deve contar com:
- Passadeiras;
- Lavadeiras;
- Balconista;
- Entregador.

CONHECENDO O PRODUTO. Administrar corretamente a empresa e dominar a técnica de lavagem de roupa, conhecendo profundamente os tecidos e tipos específicos de lavagem para cada tipo de roupa são condições exigidas. Empreendedores, com formação técnica na área de química, detêm trunfo poderoso, já que uma das dificuldades básicas do ramo são as manchas nas roupas e, sobretudo, a repercussão negativa de uma mancha mal tirada.

FUNCIONAMENTO. Os horários de funcionamento devem ser flexíveis, já que, deverão atender a conveniência dos clientes.

PERFIL DO CLIENTE. No caso da lavanderia que atende ao público doméstico, o cliente geralmente é das classes média e alta. Mas não adianta querer atender apenas a classe A , porque esse público mora em apartamentos espaçosos, têm áreas de serviço e empregados suficientes para fazer o serviço em casa, e usam lavanderias apenas para as roupas de festa, ou ainda peças tão grandes que são melhor “compreendidas” pelas potentes máquinas das lavanderias. Além do mais, a lavagem dessas peças maiores em lavanderias é vantajoso e barato, tendo em vista a praticidade. Mas é bom lembrar que nenhum desses clientes pretende ampliar o uso do serviço, afinal lavar roupa comum, do dia-a-dia, fica muito caro. Ainda não é o fim: existem ainda aqueles que optam de maneira mais integral pelo serviço como única alternativa para manutenção civilizada de um guarda-roupas. Falamos da turma dos recém-descasados e dos “sem-máquina de lavar”. Esses sentem no bolso o que é isso. Mais barato seria contratar uma empregada. Aliás essa é inclusive uma realidade a que as franquias tiveram que se adequar: o consumidor brasileiro prefere que alguém lave suas roupas em vez de ele próprio pilotar as máquinas. Assim, embora operem conceitos centrados no auto-serviço, essas redes tiveram que se adaptar aos hábitos nacionais e agora oferecem os serviços do “valet”, funcionário que se dispõe a monitorar as operações de lavagem. Uma sugestão como forma de identificar maneiras de cativar a clientela é manter um fluxo constante de comunicação. O cadastramento é a ferramenta ideal.

SERVIÇOS. Uma lavanderia deve dispor de serviço de retirada e entrega de roupas para o cliente, principalmente quando a empresa é prestadora de serviços de restaurantes, hotéis, motéis, flats, condomínios residenciais e indústrias. Os serviços ofertados variam desde lavagens até costura das peças. Conveniência é a palavra de ordem nesse ramo.

OFERECENDO SERVIÇOS-EXTRA. Oferecer serviços-extra é uma idéia que pode render frutos, além é claro de atrair novos clientes. Serviços esses:
- Pequenos reparos (pregar botões, costurar bainhas) nas peças sob seus cuidados como cortesia (através do bilhete colocado na roupa o cliente toma conhecimento da gentileza);
- Costura, sapataria, conserto e tingimento de roupas.

CUIDADOS BÁSICOS NA ROTINA DE UMA LAVANDERIA. Imprescindível, o domínio completo das técnicas de uma lavagem perfeita é um dos principais desafios do ramo. Assim, é aconselhável não aventurar-se no tratamento de roupas finas ou na eliminação de manchas se não detiver bons conhecimentos sobre os tecidos e seu processo de lavagem, ou ainda, se não souber distinguir tipos e origens das manchas. É bom lembrar que toda lavanderia tem a obrigação de ressarcir o consumidor em caso de dano ou perda de alguma roupa, e a avaliação do prejuízo deve ser feita em conjunto pelas duas partes. E não é tudo. Um dono de lavanderia tem que ser, por natureza, cuidadoso, hábil e observador. Preste atenção:
- Manchas. Ao receber uma peça para lavar, examine-a minuciosamente ainda no balcão e anote eventuais defeitos na comanda na presença do freguês. Essa atitude poderá livrá-lo da culpa por eventuais defeitos ou manchas já existentes nas peças. Além disso Não prometa serviços de difícil execução, como retiradas de manchas e sujeiras visivelmente impregnadas há muito tempo;
- Delicadas. Peças em seda ou linho precisam ser lavadas manualmente, assim como roupas íntimas. Recuse serviços, se for o caso. Você pode perder uma venda, mas cativará o cliente, pois ele sabe valorizar a honestidade. Ao lavá-las, tome o máximo cuidado com a regulagem de temperatura das máquinas, o ciclo de lavagem e a quantia de sabão colocada nas roupas, para não causar danos às peças;
- Passagem. Dedique especial atenção ao ato de alisar as roupas, pois nessa fase ainda podem ser corrigidas falhas cometidas nas etapas anteriores;

ASSUMIR OS ERROS. Assumir imediatamente a responsabilidade por eventuais danos causados às peças. Adiar essa decisão desgastará a relação com o consumidor, gerando uma imagem negativa de seu negócio. Busque auxílio nas análises técnicas feitas pela Anel para os casos em que há dúvida se o estrago foi ou não causado na lavanderia e providencie a indenização da roupa se houver dano irreversível. É melhor sacrificar o lucro do que perder ou desagradar um cliente. A danificação de peças e, principalmente, a falta de uma regulamentação para a questão do reembolso ao cliente é um grande gargalo no setor. Estima-se que 3% do volume de serviços de uma lavanderia gerem algum tipo de problema decorrente de eventuais danos causados às roupas.

PROPAGANDA. Cuidado essencial, o marketing local consiste na manutenção de um bom relacionamento com a comunidade-alvo, convênios e divulgação dos serviços. A distribuição de panfletos em residências, feiras livres e semáforos ajuda a consolidar o empreendimento. É sempre bom lembrar que boa qualidade no serviço, rapidez, soluções para cada tipo de problema - o que caracteriza atendimento personalizado - são condições vitais para o sucesso de uma lavanderia. É através da utilização dessas ferramentas que o empreendedor diferenciará seu estabelecimento no mercado e enfim realizará a melhor forma de propaganda.

PROCESSO DE LAVAGEM À SECO. Entende-se por a seco um processo de lavagem no qual a água é substituída por um solvente que remove a sujeira em volta da fibra, não sendo necessária sua absorção pelas fibras da roupa, ao contrário do que ocorre na lavagem à água quando a fibra do tecido incha absorvendo o líquido e, durante a secagem, desincha, deformando a fibra. Em razão disso, tecidos lavados a seco duram de 5 a 8 vezes mais que os lavados com água.
- Solventes. Na lavagem a seco, o solvente mais utilizado é o Percloroetileno. Existem outros solventes, mas eles estão caindo em desuso por apresentarem um alto grau de inflamabilidade: querosene, varsol, Fluorcarbono, etc....

FRANQUIAS. Mesmo com estilo próprio, é praticamente impossível para uma empresa independente ou uma pequena rede igualar o poder de fogo das cadeias de franquias.
Na hora da escolha da franquia é necessário ter atenção ao maquinário que está sendo oferecido pelo franqueador. Se o equipamento gasta muita água e energia, desperdiça as químicas, como sabões e amaciantes, o negócio pode se tornar pouco rentável. Além disso, o suporte de manutenção e assistência técnica oferecido pelos franqueadores deverá ser eficiente, já que praticamente tudo dentro das franquias é importado.
Outro problema é o elevado capital exigido, e não as margens de lucro, que são extremamente atraentes num cenário de economia estável.

LEMBRETE IMPORTANTE. Ao definir a atuação, é importante verificar se a concorrentes existentes no raio de 1 quilômetro em torno do ponto escolhido. Não se deve subestimar nenhuma lavanderia, mesmo que ela opere com equipamentos antigos.

NOTÍCIAS.
Cresce o Mercado para as Lavanderias Hospitalares
A tendência de terceirização de lavanderias hospitalares está sustentando o faturamento e a expansão da paranaense Suzuki Indústria e Comércio Ltda., maior fabricante brasileiro de lavadoras industriais, que encerra o ano com uma produção de 2,5 mil unidades e uma receita de R$ 30 milhões, 30% a mais que os R$ 24 milhões registrados no último exercício, segundo informa seu diretor, Keiti Suzuki. Somente o Sul do País absorve 40% das lavanderias produzidas pela empresa.
Pioneira no Brasil no processo de lavagem de roupa hospitalar com a utilização de ozônio, a fábrica, sediada em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, prevê aumentar de 30% a 40% o faturamento de 2002, um crescimento provocado principalmente por causa das máquinas vendidas para a Chanceller, lavanderia industrial controlada pela norte-americana White Martins que implantará, nos próximos dois anos, com investimentos de R$ 50 milhões, 14 unidades em diferentes pontos do País. Os novos negócios da Chanceller já garantiram a fabricação de cerca de 400 novos equipamentos com a marca Suzuki que serão entregues gradativamente até 2003.
Pelo segundo ano consecutivo, as lavadoras destinadas a hospitais correspondem a 60% da produção da Suzuki, 10% a mais que o volume de 1999. São, principalmente, equipamentos com capacidade variando entre 50 quilos e 100 quilos, os mais procurados por um mercado que parece apostar no sucesso da terceirização, como é o caso da paulista MaxLav. Nos últimos 12 meses, a empresa, que comprou 10 máquinas da indústria paranaense, investiu R$ 7 milhões na instalação de uma unidade industrial de higienização de roupas hospitalares em Jaguariúna, interior de São Paulo, segundo informa sua diretora, Lilian Rodrigues Affonso.
Com uma planta operacional de 1,8 mil metros quadrados (m²) instalada num terreno de 11 mil m², a Maxlav começa a funcionar em janeiro com uma meta de atingir, até março, o processamento de 30 toneladas por dia, sua capacidade máxima em dois turnos. A empresa ainda não fechou nenhum contrato mas Lilian afirma estar otimista com cinco negócios que estão andamento com as direções de grandes hospitais de São Paulo. ´O que temos hoje são pré-contratos que deverão ser viabilizados´, declara.
Dono de um mercado nacional de R$ 1,6 bilhão no ano passado, o setor de lavanderias domésticas e industriais espera crescer 5% este ano, segundo informa a diretora-executiva da Associação Nacional de Empresas de Lavanderia (Anel), Rosa Maria Artusi. Mas é no segmento industrial, que responde por R$ 980 milhões dessa receita, que estaria ocorrendo a expansão, com o movimento de terceirização hospitalar. ´As direções dos hospitais estão percebendo que é melhor investir num centro de diagnóstico, por exemplo, do que manter uma área e uma estrutura de lavagem e desinfecção de roupas´, observa a diretora.
Das oito mil lavanderias existentes no País, 2,4 mil são industriais. A entidade não sabe quantas dessas são unidades que processam roupas para hospitais e nem qual a taxa de crescimento do novo segmento, mas uma parcela dessa evolução pode ser medida pelo projeto da Chanceller. A White Martins, que comprou 80% do capital da empresa no ano passado, iniciou sua investida a partir da planta da Chanceller na região metropolitana da capital paranaense, mas já está construindo três outras indústrias, uma no interior do Rio Grande do Sul e outra no Estado de São Paulo, e a terceira em Goiânia.
O projeto é instalar lavanderias em 14 Estados, oito até o final do próximo ano e mais seis até 2003, segundo informa Marcelo Rodrigues, diretor de serviços integrados da White Martins. Ele ainda não sabe qual a participação dos hospitais no volume 250 toneladas de roupa por dia que a rede poderá processar quando estiver em plena operação. Afirmando que tudo dependerá da demanda, admite, no entanto, que as lavanderias hospitalares são o foco da empresa.
Operando atualmente somente no Sul do País, a Chanceller tem contratos com 28 hospitais e apenas três hotéis do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. ´E temos uma série de pré-contratos em andamento´, declara Rodrigues. ´A terceirização é uma tendência que está se concretizando aos pouco´, completa o diretor-presidente da Suzuki.
Fonte: Gazeta Mercantil Regional, 13/12/2001

Legislação Específica

Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:
- Registro na Junta Comercial;
- Registro na Secretária da Receita Federal;
- Registro na Secretária da Fazenda;
- Registro na Prefeitura do Município;
- Registro no INSS;(Somente quando não tem o CNPJ – Pessoa autônoma – Receita Federal)
- Registro no Sindicato Patronal;

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar seu empreendimento para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização),e também o Alvará de Funcionamento.
Além disso, deve consultar o PROCON para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990).

Entidades

ANEL - Associação Nacional das Empresas de Lavanderia
Rua Pais de Araújo, 29 /cj 112/113 - 11° andar - Itaim Bibi - São Paulo – (SP)
04531-090
Tel.(11) 3078 8466

Endereços na Internet:

Agência Nacional de Vigilância Sanitária
http://www.anvisa.gov.br

Associação Nacional das Lavanderias
http://www.anel.com.br/

BIBLIOGRAFIA
- Pesquisas Tips - Sebrae - Pequenas Empresas, Grandes Negócios - IPT - Tudo (Folha de S.Paulo) - Negócios (O Estado de S. Paulo) - Empreendedor - Exame SP - Exame - Tudo - Estado de Minas - Marketeer - Google - Wikipédia - Ministério do Trabalho e Desenvolvimento
Esse arquivo foi gentilmente enviado por usuários do Emprega Brasil. Caso tenha arquivos que contribuam com a empregabilidade ou rentabilidade, nos envie através do e-mail: arquivos@empregabrasil.org.br




Emprega Brasil | © 2013 Todos direitos reservados. Brasil